Bia Lelles Fotografia


Ensaio newborn: sonho realizado!
07/16/2013, 07:03
Arquivado em: Fotografia | Tags: , , ,

 

Faz tempo que pesquiso sobre fotos de bebês, principalmente ensaios newborn – aquelas fotos de recém-nascidos, ainda com poucos dias de vida. Em geral, os bebês passam o ensaio todo dormindo, pois são muito novinhos, e isso facilita muito para colocá-los nas posições que queremos.

Há uma semana realizei o sonho de fotografar um bebezinho. E não poderia ter sido melhor: minha modelo foi uma princesinha linda, boazinha que só… Aqui você confere o resultado do ensaio.

 



Sparrow x Tonto. Ou seriam a mesma pessoa?

Sou fã do Johnny Deep. Mas fiquei um pouquinho decepcionada, ontem, ao assistir “O Cavaleiro Solitário”. O que acompanhei por mais de duas horas naquela imensa tela foi um Jack Sparrow imitando um índio.

As semelhanças com “Piratas do Caribe” podem ser culpa do diretor, Gore Verbinski, que assina alguns episódios de “Piratas” e agora conduz “O Cavaleiro Solitário”. Acredito que a escolha de Deep para o papel foi equivocada, já que o personagem interpretado por ele, o índio Tonto, é tão caricato quanto o Sparrow, lança os mesmos olhares irônicos, nos faz rir com caras e bocas já conhecidas. Ele é apenas menos prolixo do que o pirata e também mais contido na expressão corporal, numa tentativa quase frustrada de reencarnar o personagem indígena da série antiga.

Tenho vagas lembranças da série, mas o cavaleiro também não me convenceu. Interpretado por Armi Hammer , de “A Rede Social”, me pareceu meio bobo, ao invés de apenas ingênuo e ardoroso defensor das leis da justiça. Fraco, muito fraco.

Infelizmente, as boas lembranças e referências são poucas no filme. Como não poderia deixar de ser, o famoso grito do cavaleiro está lá e a aquela música característica das perseguições (alguém no cinema lembrou que era a mesma usada  pelo Bozo, na brincadeira de corrida de cavalinhos, em seu antigo programa), remete ao passado. A cena dos Rangers esperando o trem chegar à estação e também a do ataque à casa de Rebecca pareceu-me inspiradas – ainda que levemente – no belíssimo “Era uma vez no oeste”, de Sergio Leone.

O melhor do filme, sem dúvida nenhuma, é o personagem Silver, interpretado com muita propriedade pelo cavalo branco. Sim, sim. O cavalo é impagável interpretando um cavalo! Garante boas risadas o tempo todo.

Tudo bem, confesso, não é meu tipo de filme. Tem muita ação, barulhos e pouca coisa para digerir. Tá tudo prontinho ali, não é preciso pensar em nada. É filme feito somente pra entreter, então não faz meu estilo… rs. Saí do cinema com a cabeça vazia e cansada… Marido e filhos adoraram e, acredito, muita gente também vai gostar. Foram US$ 250 milhões gastos para produzir muito barulho, ação e mortes, muitas mortes num filme raso, sem qualquer chance de uma leitura mais aprofundada. E, ainda que intenção fosse essa – a de produzir um filme raso – ficou a desejar.

Deep encerrou sua participação em “Piratas”, com o impagável pirata atrapalhado, e inicia, agora, uma nova saga com um índio tonto, já que tudo indica uma nova sequência milionária de filmes chegando às telonas. Uma pena. Tenho certeza de que esse dinheiro poderia ser gasto de maneira bem melhor.



Fotografando comida!
07/07/2013, 20:38
Arquivado em: Fotografia | Tags: , , ,

BIA_7235

No final do ano passado, surgiu a possibilidade de fotografar os pratos servidos pelo restaurante Villa Pitanga, aqui de Rio Preto. Imediatamente – e o negócio ainda nem estava fechado – entrei em pânico.  Sim, eu queria muito fazer! Não, eu nunca tinha feito foto de gastronomia! Mas sabe aquele negócio, né… Deu medo? Ah, vai com medo mesmo… rsrsrs.

Comecei, então, uma maratona de estudos: revistas, livros e muitos, muitos tutoriais disponíveis na internet (santa internet!). Analisei diversas fotos, de diferentes fotógrafos; comprei equipamentos novos (eu ainda não tinha flashes de estúdio); idealizei mil opções de produção.

Descobri que existe um profissional específico – o produtor, que trabalha em conjunto com o fotógrafo, para criar aquelas ambientações lindas que vemos nas fotos de comida.  E, meses depois do primeiro contato com o cliente, lá fomos nós, Fê[1] e eu, para mais uma aventura fotográfica.

O Villa Pitanga é um restaurante de comida saudável e maravilhosamente deliciosa. São pratos requintados, compostos de ingredientes saudáveis, bem feitos, apresentados de maneira harmoniosa e linda. O prato, por si só, é de comer com os olhos.

E o desafio estava justamente aí: captar com a fotografia toda a suntuosidade daquela comida espetacular.

Quem pesquisa um pouquinho sobre o assunto vai descobrir que há vários truques para deixar a comida mais apetitosa na fotografia, isto porquê não há como retratar o aroma e o sabor. Usa-se mais óleo do que o normal para a comida ter um brilho a mais; espelhos para refletir a luz em pontos específicos; água com corante no lugar dos sucos; sorvetes de mentirinha (que não derretem); etc. Tudo isso é trabalho do produtor, que adapta e cria as melhores situações para que o prato saia o melhor possível na foto.

Revelo que não usamos nada artificial. Os pratos que você vê nas fotos são exatamente aqueles que você recebe quando escolhe a comida no cardápio. Fizemos uma produção bem simples, dando destaque aos alimentos e à beleza que a própria montagem do prato já apresentava. Aproveitei a luz natural (enquanto era dia, pois algumas fotos foram feitas de noite e, aí, tivemos que criar uma luz mais natural) e utilizei um rebatedor dourado, além de dois flashes de 400 w, um com hazy e outro com sombrinha rebatedora. Fiz as fotos com minha Nikon D7000 e usei uma lente 50 mm 1.8. No tratamento, aumentei levemente o contraste e saturei  – também de forma leve – algumas cores.

Difícil foi resistir ao aroma daquela comida!

Acredito que o êxito de tudo na vida depende de estudo, treino e humildade para ouvir, aprender e melhorar naquilo que nos propomos a fazer. Por isso, comentem à vontade!

Para um primeiro trabalho em foto de gastronomia, gostei bastante do resultado. Principalmente após ver as fotos nos banners do restaurante.  Mais um aprendizado na vida; mais um desafio cumprido!

Bom domingo!

Bia


[1] Fê é o maridão, além de produtor; iluminador; incentivador; faz tudo, pintor e todas as outras coisas que eu precisar.



Amor e fé
06/10/2013, 09:55
Arquivado em: Fotografia | Tags:

neide e joão-0218

Há algum tempo eu penso em reativar este blog, mas a escassez de tempo é um empecilho constante. O trabalho no banco ocupa os dias úteis; a fotografia ocupa sábados e domingos. E, assim, vou apagando incêndios aqui e ali… rs.

Mas um evento, em especial, despertou a urgência em atualizar este espaço. Meses atrás, uma amiga nos procurou com a proposta de fotografarmos a cerimônia religiosa do casamento de sua mãe. Poderia ser só mais um casamento, mas os noivos em questão estão na casa dos setenta e casar na igreja era um sonho antigo.

Os noivos, Dona Neide e Seu João, conheceram-se e vivem juntos há 30 anos. Muito religiosa, ela – a noiva – passou todos esses anos sentindo-se em conflito com os preceitos da igreja católica. Explico: Dona Neide já havia se casado uma vez na igreja e, portanto, acreditava viver em “pecado”. O próprio padre de sua paróquia tentou lhe convencer de que ela estava longe de ser uma pecadora, mas ela não se conformava.

Ano passado, ela confessou ao padre seu desejo de oficializar a união com Seu João e poder, novamente, comungar. Dona Neide é católica atuante em sua comunidade e querida por todos. O padre, então, deu início aos procedimentos para anulação do primeiro casamento que, se aprovado pela igreja, possibilitaria uma nova união sob as bênçãos de Deus.

E não é que deu certo?!

Todo o processo – que normalmente leva anos para ser concluído – foi aprovado em meses e os preparativos para a cerimônia começaram a todo vapor.

Os dois filhos do primeiro casamento de Dona Neide, netos e toda a família dos noivos empenharam-se em proporcionar aos dois um dia de sonho e celebração ao amor. Parece piegas? Dito assim, talvez. Mas a emoção que todos sentiram (inclusive eu) durante a cerimônia foi algo inesquecível.

Dona Neide mostrou-se vaidosa como toda noiva.

Seu João demonstrava certo nervoso esperando a noiva no altar.

Quando as portas se abriram, ela entrou radiante e seguiu sorridente enquanto atravessava o longo corredor da igreja.

Seu João tremia ao recebê-la.

É normal que os noivos chorem durante o casamento. Mas ver, pelo visor de minha câmera, os olhinhos marejados do Seu João… Ah! Foi realmente lindo!

Não sou religiosa, mas acredito e confio em algo – uma grande energia, quem sabe – que nos guia e ilumina.  A fé é uma das poucas coisas que me intriga e comove ao mesmo tempo.

Sorri várias vezes ao escrever este texto, lembrando-me dos momentos emocionantes que todos vivemos naquele dia de sol intenso. Alguns desses momentos você pode ver clicando aqui.

Nossa equipe deseja aos noivos toda a felicidade do mundo!



Triathlon Pirassununga 2012
11/26/2012, 06:30
Arquivado em: Fotografia | Tags: , , , , , , , ,

Ontem pratiquei uma nova modalidade de fotografia na minha carreira: fotografia sub-aquática. Mas não por vontade própria e, sim, de São Pedro (aquele lindo!): choveu o dia todo!  Brincadeiras à parte, cliquei a galera da Briani Assessoria Esportiva na tradicional competição de Triatlhon que acontece anualmente em Pirassununga. O costumeiro sol escaldante que frita atletas e fotógrafos durante a competição deu lugar à chuva que não parava de cair.

Com isso, meu trabalho ficou bastante prejudicado. Fora o medo de molhar a câmera, ainda tinha o frio e a visibilidade bem prejudicada para atrapalhar. Fiz o que deu… E, lógico, não fiquei satisfeita. Mas que sirva de aprendizado: nunca sair de casa para eventos ao ar livre sem capa de chuva para a câmera e também para esta fotógrafa que vos escreve!

Para adquirir fotos, envie email contendo o número das mesmas para contato@bialelles.com.br.

Para fotos em alta resolução, arquivo digital, enviadas por email, o valor é de R$ 12,00.

Para fotos impressas, tamanho 15×21 cm + arquivo digital via email, R$ 15,00.

Também temos fotos de outros eventos esportivos que aconteceram em Rio Preto durante o ano. Dê uma passadinha no site… Quem sabe você foi clicado numa dessas competições…

 

 



Mariana – 15 anos

De vez em quando a gente tem surpresas muito agradáveis. Na última sexta, dia 19, fomos cobrir o aniversário de 15 anos da Mariana Faustino, realizado no Buffet Algazarra, aqui em Rio Preto. Tivemos um problema de última hora com os cartões das câmeras e acabamos chegando atrasadas (péssimo), o que já me deixou com a sensação de que tudo mais daria errado. Mas não foi bem assim…

Linda em seu vestido dourado, Mariana nos recebeu cheia de brilho nos olhos. Todo o meu mal estar passou… O salão decorado em preto e branco abrigava dois banners com fotos que fizemos num ensaio super divertido. Salgadinhos deliciosos, bebidas geladinhas e dois bartenders de tirar o fôlego completavam o cenário.

Quebrando todos os protocolos, Mariana dançou tango com o pai e irmãos e Lady Gaga com as amigas. As meninas estavam a todo vapor: bem coreografadas e ensaiadas deram show.

Mariana dançou e brincou com todos, sempre muito simpática e amável. Não estou desperdiçando elogios, não… Se toda debutante fosse igual ela, dava gosto fotografar este tipo de festa!

Parabéns, Mariana!!!!

Abaixo, alguns alegres momentos da aniversariante. Para ver mais fotos clique aqui.



Vício
08/10/2011, 09:04
Arquivado em: Fotografia

Fotografar a represa municipal de Rio Preto – principalmente em horários de nascer e pôr-do-sol – é um vício para muitos fotógrafos que conheço. Eu sou um deles.

Hoje, enquanto espera o pessoal da Easy Produtora para começar a gravar, aproveitei para fazer umas fotinhas. Já me disseram que fotografar coisa bonita é fácil, até concordo, mas não pude resistir – mais uma vez – àquela explosão fantástica de cores que inundava o céu bem a minha frente.

Este slideshow necessita de JavaScript.




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.545 outros seguidores